domingo, 28 de setembro de 2008

olá, minhas caraminholas! (;

Não, não trago notícias da minha boa volta. Nem vou perder tempo dizendo o que vocês já sabem...
Trouxe mais uma mini-leva de poeminhas de bolso:


"
De Casco
Seja casulo ou carapaça
na cabeça do poeta
só existe um dilema
sem cruz ou espada:
asa ou caneta, eis a questão? "

~*~

"
Lamber o céu com o suor dos dedos

(Os Acordes de Deus) "

~*~

" O corpo movia-se tal como uma pena de chumbo, fomato de sonho e peso de realidade. Pé ante pé, a brisa viscosa escorria pelos seus dedos com frieza. Não era bom em avistar, mas ao longe um poste se apagava. Mania popular de achar que é mau presságio, Técio discordava. Preferia acreditar que um feixe de luz muito forte, provavelmente de um corpo estelar terrestre, atingira a foto-célula. Sua racionalidade lunática pensava que cada ser emitia feixes de luzes, alguns muito especiais, do tipo que só se encontram em nebulosas no meio do universo negro. Tinha ganas de desenvolver um foto-receptor só para alcançá-las. Se fosse possível guardar luz em frascos, catalogaria em código morse uma biblioteca inteira de áureas.

(ainda não sei o que fazer com isso no livro2) "

~*~

"Primeiro olhou para si naquela posição fetal, vasculhando a vida alheia feito criança curiosa. Depois o degrau. O seu número, mas não era seu nome. Será que podia... ou era evasivo demais? Já tocava as letras, antes mesmo de pensar se certo ou errado, tocava... To... ca... va...
Ilana se deliciava com cada canto de versátil aspereza, o cume ou vale de signos, que, confusamente, sentia que eram seus. Tomar posse ou não, no fundo somos todos uma salada, uma progressão de infinitos termos que se misturam aleatoriamente em seres que podem ou não se conhecer.
Bateu. "

~*~

Nada de superhiperultramegapowermasterblaster, mas é que achei que devia retribuir as visitas caridosas. (:

Recados:

-Evy:Flor, quando saíremos eu, você e o Rôs?

-Rôs: Continuo gostando dos seus comentários em branco.

-Solin: Como anda a leitura do livro? Espero que esteja entendendo, não pude te acompanhar como queríamos... Mande-me sinais de vida.

-Márcio: deep, deep. Desculpa minha ausência. Continuo estocando o feijão, bróder. Nosso pf não vai ficar sem haver.

-Odranoel: Querido, obrigada pelas recentes visitas. (:

-Luiz Felipe Leal: É um prazer te ter no blog, mesmo com duas palavras. hum! Tenho uma leve e consistente impressão de que conheço a música do seu site de verbo reflexivo. Achei bonito o espaço. Lau disse que estava em busca de material, vou mandar umas edições de jornais próprios e amigos, todos independentes. Espero que goste.

-Paty: Volte sempre. (:

-Anônimo: Seria muito óbvio perguntar quem é, certo? Muito grata.

-Luna:Uma flor para você.

-fantasmas: "Eu seeeeei que vocês ainda me habitam", berrou coloridades, o blog-aprendiz.

4 comentários:

Odranoel disse...

Disponha

;)~

§ Anônimo disse...

Seria muito óbvio perguntar quem é, certo? Muito grata.

Certamente minha querida,

Fico muito feliz por você ter tirado o cinza de poeira desse blog, e ter colocado o estampado sorriso nos nossos corações.

continue, sim?!

Solin disse...

rs
mas minha vida sempre emite sinais de sobrevivência..

Sobre o livro, o nosso primeiro contato foi uma mstura de infância com 'adultância'. Adoro.
No entanto, passei por uns apuros e tive de interromper nossos encontros por um tempinho. Felicissimamente estou retomando a viagem.

Saudades da cor que só vc tem
: )

Luiz Felipe Leal disse...

esses trechos (palavras de corretor) tem indícios de autoria.