segunda-feira, 5 de janeiro de 2009

Assalto à-moral

http://flickr.com/suzen

Num brechó localizado no centro histórico do Rio de Janeiro, havia duas cadeiras. A primeira oriunda de um burguês falido do Leblon e a segunda da família de um traficante morto. Entre os burburinhos das pessoas, elas conversavam:

- O centro tá cheio hoje, hein?
- É...
- Acha que vão te comprar?
- Quê isso, bróder, tô acabadona e tu?
- Ah, sou muito cara e não vejo socialites por aqui.
- É, tá loco, mano, medão de ser assaltada ou morrer.
- Verdade.. Como que era lá no morro?
- Fogos de artifício e tiro ao alvo sem prendinhas. E lá no aparti?
- O garanhão não trabalhava, vivia de herança, mas depois de tanta amante perdeu tudo na justiça.
- Sei como é... Ah, nem... bem que podiam tirar a gente do sol, né?
- ih... Olha lá o tipo, hein?
- Tirou uma nota de cem, mano, burguês vestido de tráfico.
- De vez em quando, eu acho que eles são um povo só.
- E são, mas fingem que não.
- Olha o arrumadinho, aí.

"Assalto!" "Assalto!"
Roubaram tudo e as cadeiras foram quebradas.

10 comentários:

R.R. disse...

singelo.
curto.
delicado.
e...
brilhante!

Anônimo disse...

Hoje que vi seu recado...
gosto de silêncios que depois são revelados, hehehe

Gostei muito de ver um desenho meu neste seu cantinho.

És de onde?

Anônimo disse...

http://www.youtube.com/v/j0WCQadt864&hl=pt-br&fs=1

Solin disse...

e o diálogo secreto das cadeiras...
sempre achei que existissem como tantos outros diálogos de outras coisas tantas.
tudo tem algo a dizer não é mesmo?

:)

solin disse...

quem prefere nã ouvir, rejeita da pior forma possível.

Paula § Danna disse...

Genial... uma crítica que se veste de fábula, mas na verdade é um...

Bjus na sua alma!!

Paula § Danna disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
solintr disse...

acho que assaltaram vc aqui do blog
=~

solin disse...

jess gosta de jazz?

E. Andrade disse...

entao guardamos todo preconceito em um lixo profundo,e que nem de longe tem chance de reciclagem..no tempo em que mocinhos e bandidos se misturam de forma homogenia,robando corações ou malas de dinheiro.otimo texto.
abraços.