domingo, 23 de março de 2008

Ele


carregou o sol nas mãos. carregou o mundo inteiro e mais um pouco de tão leve. queimando, a estrela brincava de roçar luz pelos seus dedos. ele inspirava o vento solar, expirava ar cósmico. guardava o momento sem a pressa, sentou ao chão, abriu o peito, deixou-se, invadido pelo nada. pelo tudo. era sol, estrela, nada, tudo. carregou-se para fora e repousou as mãos para cima sobre os joelhos, esperando ser preenchido. roçou-se com luz. invadido, joardo brincava de sol. joardo era sol, estrela, nada, tudo.

2 comentários:

Bassáltamo disse...

da plenitude do vazio :)

Solin disse...

oi Jessica, tudo bem?
Estava passeando no pequenas coisas (jornal), e lá nos comentários, achei o nome do teu blog curioso.
Vim aqui conferir e descobri que ee continua sendo curioso, mas agora com cores... =D
Serio mesmo, adorei o teu blog, é lindo. e vc eh sim uma escritora, pq escreve.

até mais :)